Fugas - restaurantes e bares

NFACTOS/Fernando Veludo

Requinte no coração da cidade

Por José Augusto Moreira ,

Numa travessa célebre pelas tascas e casas de comidas, nasceu um restaurante, pela mão de gente que passou pelo Cafeína, com o charme e o requinte como imagem de marca.

Chama a atenção logo pela localização. A Travessa dos Congregados sempre foi conhecida como um lugar exclusivamente povoado por tascas e casas de comidas, logo o mais improvável para um restaurante que tem o charme e o requinte como imagem de marca.

O espaço liga a Travessa - que na realidade é um beco, já que não tem saída - à Rua de Sampaio Bruno, para a qual dão os dois janelões do fundo da sala.

O restaurante, propriedade de gente que já passou pelo conhecido Cafeína, na Foz, projecta para o centro o espírito moderno e cosmopolita da zona litoral da cidade. Espaço de bar e recepção na entrada. As áreas de serviço fazem a divisão com a sala, de enorme pé direito e decoração sóbria e elegante.

À entrada do beco, na confluência com as ruas de Sá da Bandeira e do Bonjardim, um cartaz logo anuncia menus de 9, 12 ou 14 euros para o almoço, consoante se opte por entrada e prato, se acrescente o copo de vinho ou também a sobremesa.

Há também um menu completo para o jantar (15€), que é servido de segunda a quinta-feira. Para as opções da lista, a refeição pode rondar o 30€.

Carta de vinhos competente e abrangendo várias opções, serviço cuidado e cozinha a condizer.

Além da valia gastronómica, um lugar com clara vocação social, opção antes exclusiva para outras zonas do Porto.

--%>