Fugas - restaurantes e bares

  • DR (cortesia de Estelle Valente)
    DR (cortesia de Estelle Valente)
  • Enric Vives-Rubio

Nesta capela de Alfama reza-se o fado

Por Luís J. Santos ,

É, literalmente, uma capelinha do fado: fica numa pequena capela de um velho palácio de Alfama. E tornou-se em poucos anos um local de culto dos admiradores do novo velho fado, de vozes e guitarras extraordinárias. "Um caos organizado" resume o mentor da Mesa, o guitarrista Pedro Castro.

Aqui, nesta meia dúzia de metros quadrados, procura-se a experiência do fado puro, num sentido quase religioso. Num recanto da Rua dos Remédios, atrás das portas verdes, encontra-se a esperança de quem procura um espaço íntimo, onde a proximidade entre fadista e ouvinte é absoluta, a informalidade é lei.

Aqui, cantava Carminho e cantam agora vozes jovens mas seguras e, certamente, prometedoras de dar muitos mundos ao fado: Ricardo Ribeiro, José Manuel Barreto, Rodrigo Rebelo de Andrade, Tânia Oleiro, Pedro Moutinho e Ana Sofia Varela são as estrelas do elenco.

É "Um caos organizado", diz Pedro de Castro, guitarrista e mentor da Mesa de Frades, aberta em 2006 numa antiga capela de um edifício oitocentista - o palácio da Dona Rosa -, decorada a belíssimos azulejos. Agora, o antigo altar é a cozinha, mantiveram-se as portas, sacristia, os magníficos painéis de azulejos, a pia baptismal original. "Tornou-se uma capela de fadistas", onde se defende um certo purismo e se rejeita "o fado a metro". Até porque seria quase um sacrilégio, tendo em conta, inclusive, a extraordinário e sagrada acústica natural.

Pedro, 33 anos, quis fazer uma casa de fados para a sua geração e o resultado são noites únicas, cada uma a cargo de um fadista "amigo" e a possibilidade de mais gente cantar, mas sem o condão do fado vadio.

Esta "tasca polida", "sem consumos mínimos", é, sublinha, "onde os fadistas vão quando querem ouvir fado". Porque os fadistas têm aqui "liberdade máxima" enquanto os clientes podem esperar jantares, petiscos, noites não formatadas e serem surpreendidos. Inclusive pela presença e canto de algum visitante célebre. Não se admire se der por si a ouvir Camané ou mesmo Carlos do Carmo. Ou, talvez com saudades da sua antiga casa, Carminho (até porque o seu irmão, Rodrigo Rebelo de Andrade, continua a cantar na Mesa).

E o forte da Mesa é mesmo o fado pela noite dentro, mais que o serviço de restauração, apesar de o haver (e em redor dos 35€, preço imbatível quando comparado com outras casas de fado profissional). 

Comer e beber

O preço do jantar, que inclui entradas, prato principal (peixe ou carne), sobremesa e café é de 35 eros.

--%>