Fugas - restaurantes e bares

  • Enric Vives-Rubio
  • Damien Dubourdieu
    Damien Dubourdieu Enric Vives-Rubio
  • Enric Vives-Rubio
  • Enric Vives-Rubio
  • Enric Vives-Rubio
  • Enric Vives-Rubio
  • Enric Vives-Rubio
  • Enric Vives-Rubio
  • Enric Vives-Rubio

As novas flores da Baixa são gelados

Por Ana Saleiro ,

A gelataria Amorino, de alma italiana, abriu no coração de Lisboa e tem mesmo um toque amoroso: quer seduzir lisboetas e visitantes com gelados em forma de flor.

Enquanto Lisboa derretia ao sol, encaminhámo-nos para uma das mais novas e frescas casas da Baixa. Antes mesmo de pormos à prova os sabores da gelataria Amorino, é o olhar que é seduzido. Os olhos também comem e, neste caso, a atracção está no facto da gelataria não utilizar os tradicionais cones com bolas de gelado. O romantismo da decoração foi transportado para os cones, que surgem enfeitados com uma flor em forma de gelado. Pode mesmo escolher-se, por exemplo, um sabor para cada pétala ou um só sabor para toda a flor.

A Amorino da Baixa, criação da autoria de Paolo Benassi e Cristiano Sereni, marca a estreia em Portugal de um grupo que já conta com mais de 80 gelatarias em dez países. "Decidimos abrir em Portugal porque é um país maravilhoso e com um clima muito bom. Para além disso, tenho muitos amigos a viver em Lisboa e via a Santini com muitas filas...", confessou Damien Dubourdieu, responsável pela loja lisboeta, aberta em finais de Junho.

A gelataria é especializada em gelados artesanais que são produzidos e posteriormente exportados, em arcas refrigeradoras, de uma fábrica francesa. É de Paris que os gelados partem rumo aos quatro cantos do mundo para serem vendidos nas diversas lojas. De acordo com Dubourdieu, esta é a única forma de manter a autenticidade e qualidade dos gelados, dando especial destaque ao facto de estes gelados serem feitos, referem com uma percentagem de frutos acima do que se produz noutras gelatarias.  "Gelados sem corantes, ovos bio, leite fresco, frutas seleccionadas", lê-se numa placa.

A decoração distingue-se pela utilização de tons quentes, essencialmente castanhos, por toda a loja, uma espécie de atmosfera calorosa pronta a derreter a qualquer momento. A parede em pedra e todos os objectos decorativos remetem-nos para os edifícios antigos da bella Itália. Um espaço rústico e romântico, onde os anjos do amor são mobília obrigatória da casa, até porque a palavra Amorino, em italiano, pode também significar cupido. E por aqui não faltam mesmo cupidos, estão por todos os cantos da loja, quer em pequenas estátuas quer pelas paredes e, claro, no logótipo da marca.

--%>